20 Novembro, 2018

webmail

Sartório aciona José Otávio na expectativa de recursos para construção de cisternas

sartrio_24-10_640.jpg 

Sartório aciona José Otávio na expectativa de recursos para construção de cisternas

Confirmando as previsões dos meteorologistas, no Rio Grande do Sul, o verão de 2012 já deu mostras de que será marcado pelo fenômeno La Niña, que faz com que chuvas sejam mal distribuídas. Em Cachoeira do Sul, quem esperava uma chuvarada na virada do ano, se decepcionou bastante, pois enquanto que em certas localidades a chuva foi prodigiosa, beirando os 30 mm, noutras regiões não choveu uma gota sequer.

A preocupação com a falta de água para as comunidades rurais, e o temor por quebras na produção, tanto da soja, quanto do arroz, deixaram as autoridades em alerta. Isto fez com que a Prefeitura Municipal agisse rápido para que o Estado aprove a decretação de estado de emergência. Uma Notificação Preliminar de Desastre (Nopred), documento que oficializa o pedido ao governo do estado para que reconheça que o município está em situação de emergência, já foi encaminhada à Defesa Civil do Estado.

Preocupado em garantir o acesso à água, na manhã desta terça-feira (3) o vereador Oscar Sartório (PR) tratou de acionar o deputado federal José Otávio Germano, pedindo que intermedeie a liberação de recursos para a construção de cisternas, poços e açudes no interior do município. O parlamentar explicou que existem recursos federais para este fim, pois vem acompanhando as ações desenvolvidas pelo Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS) no sentido de beneficiar a população rural de baixa renda, visando a mitigar os efeitos da estiagem. Segundo ele, iniciativas da sociedade civil e experiências de alguns governos estaduais e municipais pelo país afora, embasaram a articulação do Programa 1 Milhão de Cisternas (P1MC), que pode ser implementado a partir de parceria com o P1MC e também pela realização de convênios com entes federados.

TECNOLOGIA - Basicamente o MDS permite a difusão da tecnologia de cisternas como uma solução simples e barata para captar água da chuva que irá servir para o consumo próprio das famílias. São necessários editais para que estados e municípios firmem convênios com o MDS para a construção dessas unidades. Além de instalá-las, o MDS financia a formação da mão-de-obra para a construção e também a qualificação das famílias beneficiadas para a manutenção das cisternas. "Essa tecnologia popular para captação de água da chuva é simples e barata. A cisterna tem capacidade para até 16 mil litros de água, o que supre a necessidade de consumo de uma família de cinco pessoas por até oito meses", explicou o parlamentar.