16 Julho, 2018

webmail

Agenda temática da Câmara na Fenarroz promoveu debate sobre o arroz e setor orizícola

 
 
A Câmara de Vereadores realizou, na tarde desta quinta-feira (21), uma agenda temática na Fenarroz sobre o arroz e sua produção. A atividade contou com a participação de lideranças políticas, do setor rural e do público em geral.
 
“A Câmara historicamente tem participado das edições da Fenarroz. Neste ano, resolvemos realizar agenda temática na feira, compartilhando com o setor arrozeiro aquilo que o Legislativo cachoeirense tem realizado neste ano para fortalecimento da cultura do arroz, na capital nacional do arroz, contribuindo ainda com o debate das questões que afligem a classe arrozeira”, iniciou o encontro o vereador Igor Noronha (MDB), presidente da Câmara de Vereadores.
 
Palestras
 
A primeira palestra foi da nutricionista Denise Caspani, que falou sobre a importância da farinha do arroz na alimentação e sobre o PL 06/2018, que inclui a farinha de arroz no cardápio da merenda escolar da rede pública municipal.  Em sua manifestação a nutricionista destacou os benefícios e aplicabilidade da farinha do arroz como substituto e complemento na produção de alimentos. “A farinha de arroz pode ser incorporada como espessante em produtos doces ou salgados, de cor e aromas variados. Devido à baixa alergenicidade de suas proteínas, ela pode ser usada inclusive por pacientes celíacos, que apresentam intolerância às proteínas do trigo, aveia, centeio e cevada”, afirmou a nutricionista.
 
Na sequência, a servidora do IRGA, Camila Pilownic, falou sobre o Programa de Valorização do Arroz. “O Programa de Valorização do Arroz é um conjunto de ações apoiadas por instituições como o IRGA, Federroz, Farsul, Senar e Sebrae, com o objetivo de aumentar o consumo do cereal, conscientizando a população sobre os benefícios desse alimento para a saúde”, explicou a responsável, ressaltando: “Dentre as principais ações destacam-se a realização de palestras em escolas, capacitação de merendeiras em escolas, divulgação na mídia e promoção de atividades junto a universitários de áreas ligadas à gastronomia e saúde”.
A última palestra foi ministrada pela presidente do Instituto Brasileiro do Agronegócio (IBDAGRO), Odara Weinmann, que pontuou as principais questões relacionadas ao endividamento da classe arrozeira. “Essa crise não é de hoje, ela vem se agravando e acredito que seja uma das piores que o setor já enfrentou. As propostas de renegociação das dívidas, recentemente apresentadas, estão longe de resolver os problemas dos arrozeiros”, alertou.
 
Carta de Cachoeira
 
Ai final da atividade, foi feito o lançamento da Carta de Cachoeira decorrente de audiência pública realizada pela Comissão de Mérito da Câmara sobre a crise do setor orizícola em março de 2018. Dentre as reivindicações, o documento traz os pedidos de diminuição da carga tributária sobre os custos de produção, reestruturação do passivo dos produtores por 25 anos, suspensão das importações de arroz dos países do Mercosul, adiantamento dos pagamentos vencidos e a vencer dos produtores, implementação da tarifa verde na energia elétrica para os produtores do grão e lançamento de decreto de emergência pela crise econômica gerada pela baixa remuneração dos produtos agrícolas.
 
 Presenças
 
Também participaram da atividade o presidente do Sindicato Rural de Cachoeira do Sul, Fernando Cantarelli, o presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Cachoeira do Sul e Novo Cabrais, Diego Kiefer Moreira, o presidente da União Central dos Rizicultores, Ademar Kochemborguer, o presidente da Celetro, José Benemídio Almeida, o presidente da Cacisc, Fábio Silva, o Coordenador Regional do IRGA, Pedro Hamann, e os vereadores Azevedo da Susepe (PPS), Noeli Castelo (PSB), Telda Assis (PT), Itamar Luz (PSDB), Felipe Franja (MDB) e Paulão Trevisan (PDT).