20 Novembro, 2018

webmail

Câmara homenageia 110 anos do 13º GAC e Cel. Sandro Valença

 
 
 
A Câmara de Vereadores realizou, na noite desta terça-feira (06), sessão solene em homenagem dupla: aos 110 anos 13º Grupo de Artilharia de Campanha “Grupo General Polidoro” e concessão de Título Honorífico de Cidadão Honorário ao Coronel Lívio Sandro Valença, comandante do 13º GAC. Nascido no Estado de Pernambuco, o homenageado veio a Cachoeira do Sul em agosto de 2017 para assumir o posto de comandante do 13º GAC.
 
No início da solenidade, foi apresentado um vídeo sobre a história do 13º GAC e as comemorações relativas ao aniversário 110 anos da unidade, transcorrido em 4 de julho deste ano. Na sequência, o presidente do Legislativo, vereador Igor Noronha (MDB), leu uma carta enviada pela mãe do Cel. Sandro Valença, em seu nome e dos irmãos do homenageado, parabenizando-o pelo reconhecimento da Câmara de Vereadores de Cachoeira do Sul.
 
Autor do requerimento para destacar a passagem do aniversário do 13º GAC, o vereador Igor Noronha, que prestou serviço militar na unidade em 1998, falou sobre a história do Grupo e destacou sua atuação e papel hoje. “Apesar de passados 20 anos, é incrível como a vivência é presença memória daqueles que vestiram a verde-oliva ou a camuflada, como era no meu tempo. O 13º GAC cumpre singular missão em nossa sociedade, transmitindo valores da nossa artilharia, sintetizados em trecho da canção alusiva à arma: ‘abraçado ao canhão, morre o artilheiro, em defesa da Pátria e da Bandeira’. Fora do papel tradicional, cumpre destacar, ainda, a atuação do 13º GAC no tratamento de diversas patologias, como distúrbios mentais, sensoriais e emocionais, além da auxiliar no desenvolvimento psicomotor de pessoas portadoras de necessidades especiais, através da equoterapia, do Centro Hípico General Polidoro, inaugurado em 2005”.
 
O autor do Projeto de Decreto Legislativo que concedeu o título honorífico ao Cel. Sandro Valença, vereador Jeremias Madeira (PDT), agradecer ao seu empenho no comando da unidade e em prol da cidade. “Quero, em nome da nossa comunidade, agradecer ao seu trabalho no comando de nosso 13º Grupo de Artilharia de Campanha, sendo um grande parceiro de Cachoeira do Sul”, afirmou.
 
Emocionado, o homenageado destacou, primeiramente, a atuação do 13º Grupo de Artilharia de Campanha. “A história do 13 GAC se mistura com a história do nosso Exército. Nossa unidade possui cerca de 483 militares e quando acionado faz ações de garantia da lei e da ordem, como foi o caso da Copa do Mundo Fifa 2014 e, este ano, por ocasião do julgamento do presidente Lula no TRF4, e nas greves dos caminhoneiros. Por fim, apoiando as calamidades que por vezes atinge nossa cidade, fazendo jus ao slogan que o Exército possui: braço forte, mão amiga. Eu não posso deixar de falar do militar do 13 GAC, a essência de ser da unidade. Militar cumpridor de missão, que anda bem uniformizado, possui entusiasmo e vibração em tudo que faz. Vários militares da unidade que hoje são tenentes, subtenentes, sargentos, já foram soldados. Isso nos dá alegria e satisfação, pois evidencia que estamos no caminho certo.”
 
Ao fim, o Cel. Sandro Valença agradeceu o título de Cidadão Honorário e falou sobre a sua vivência na cidade e no Estado. “Quando eu chego em uma cidade nova, eu busco estudar as tradições daquele local e foi desta forma que eu procurei respeitar a cultura aqui do Rio Grande do Sul. Nesse caminho, participamos de alguns eventos: fizemos uma cavalgada, a busca da Chama Crioula, aprendemos a dançar as músicas típicas do Rio Grande do Sul, recuperamos o nosso PTG. Tudo isso foi pra fazer com que conseguíssemos nos relacionar e para os soldados saberem  que não somos melhor que ninguém. Apenas nasci antes e, por uma questão de oportunidade, estou coronel. Mas eu não nasci coronel, cada um tem a sua peleia e acredito que é importante passarmos esses valores e fazer com que os soldados tenham objetivo na vida. Por fim resta-me dizer que por aqui fiz grandes amigos. Tenho satisfação de ter feito e de ainda estar fazendo parte da história do 13º GAC  e de Cachoeira do Sul. E isso só está acontecendo por causa do respeito e do profissionalismo  dos meus subordinados, dos meus amigos cachoeirenses e pelo apoio dos meus familiares. Só me resta a dizer o meu muito obrigado”, disse, finalizando: “Sou Pernambuco de nascimento, carioca de amor e paixão por causa da minha esposa, mas aqui no Rio Grande do Sul eu sou gaúcho de honra e tradição. Os senhores podem ter certeza que onde eu estiver eu estarei defendendo a cultura tradicionalista daqui, que foi uma cosia que me chamou bastante a atenção. Mantenho isso vivo e vou continuar levando essa bandeira”.