19 Setembro, 2019

webmail

Promotora Giani Saad é Cidadã Honorária de Cachoeira do Sul

 
A Câmara de Vereadores realizou, na noite desta sexta-feira (29), sessão solene para conceder título de Cidadã Honorária à promotora Giani Pohlmann Saad. A homenagem é concedida pelo Legislativo a pessoas que não são naturais de Cachoeira do Sul, mas tenham reconhecidamente prestado serviços à comunidade. O título equipara a pessoa homenageada a cachoeirense.
 
Nascida em Botucatu (São Paulo) no ano de 1975, Giani veio residir no Rio Grande do Sul em 1979, na cidade de Santa Maria. No ano de 2002 é aprovada no concurso para a carreira do Ministério Público do RS, passando pelas comarcas de São Sepé, Jaguari e São Pedro do Sul. Em 2006, é promovida para Cachoeira do Sul para atuar na Promotoria de Justiça Especializada.
 
“Quando eu cheguei em Cachoeira, com 30 anos de idade, sabia que estava vindo  para uma comarca onde teria muito trabalho e pensava: ‘Será que eles vão gostar de mim?  Será que eles vão gostar do meu trabalho?’. Então vocês podem imaginar a emoção que é receber esse título de cidadã cachoeirense”, disse Giani, na tribuna, iniciando seu pronunciamento.
 
Na sequência, a homenageada lembrou diversas áreas em que atuou, citando entidades e pessoas que a auxiliaram na realização de ações, e destacou o que esse trabalhou representou em sua vida. “Quando um promotor chega em uma cidade ele pensa que vai mudar a cidade. E tem que ser assim. Só que foi Cachoeira do Sul quem me mudou profundamente. Cachoeira do Sul mudou os meus valores, a minha compreensão do que é felicidade, a minha crença no ser humano e, sobretudo, me ensinou a ser mais forte. O sofrimento visto e a carga de trabalho me fizeram ter um questionamento existencial. A infância e a juventude existem uma dose de idealismo e esperança muito grandes, mas o questionamento que se vê ali é o seguinte: ‘Por quê coisas ruins acontecem com pessoas boas?’ Se existe uma explicação maior pro mundo, da onde vem a felicidade?’. E nesse quadro caótico, em que trabalhamos vendo o sofrimento, a tristeza e as angústias de todos no processo, eu posso dizer que Cachoeira do Sul me ensinou esse caminho. É do alívio, do sentimento de empatia, do sentir dentro de si a felicidade de atenuar o sofrimento e ajudar os outros é que vem a felicidade. Foi aqui em Cachoeira que houve um amadurecimento do meu coração”.
 
Ao final, a promotora falou sobre como recebeu uma a notícia da promoção para Santa Maria, após 13 anos de atividades em Cachoeira do Sul. “Foi um misto de alegria e de tristeza, porque então eu entendi que não estava voltando para casa, mas que eu estava saindo de casa. Eu posso dizer que meu coração é daqui e que morreria feliz aqui como promotora se não fosse pelo meu compromisso familiar. Tenho uma séria desconfiança de que talvez, como promotora, eu não mais vou ser tão feliz como fui aqui. Encerro dizendo que isso não é um adeus, porque um bom filho à casa torna e aqui sempre vai ser a minha casa”.
 
Presenças
 
Além dos vereadores, participaram da solenidade o procurador-geral do MP/RS, Fabiano Dallazen; o prefeito Sérgio Ghignatti; a diretora do Foro de Cachoeira do Sul, juíza Rosuíta Massa; o diretor regional da Defensoria Pública, defensor público Walter Willig; o vice-presidente administrativo e financeiro da Associação do MP/RS, João Ricardo Santos Tavares; os secretários municipais do Interior, Paulo Sérgio Trevisan, e da Administração, Marco Aurélio Silveira; o ex-prefeito e ex-vereador Neiron Viegas; os ex-vereadores Aramando Fialho Fagundes e Any Frei; e representantes da OAB/Cachoeira do Sul, Corpo de Bombeiros, 35º Batalhão da Polícia Militar, Arquivo Histórico, Lar Transitório, Coordenaria Municipal da Mulher, 24ª CRE, SOS Animais, Sociedade Rio Branco, Cpers/Sindicato, Rotary Club Arrozais, Casa da Amizade, Compahc, Grupo Amor Exigente, Conselho Tutelar, Sindilojas, Rádio Fandango e membros do Ministério Público, Defensoria Pública.